O presidente do Partido Popular(PP) Amândio Barbosa Vicente escreveu uma carta ao presidente norte-americano Donald Trump, onde alega que a Europa e os Estados Unidos têm sido cúmplices da “onda de corrupção dos agentes públicos provindos do MPD e do PAICV em Cabo Verde”. 


Na carta dirigida a Trump, o Presidente do PP solicita-lhe que “com a mesma bravura e frontalidade que tem enfrentado os problemas internos do seu país, ajude-nos a combater o grande mal que é a corrupção em África”.

Leia a carta na Integra:



Senhor Presidente,

Cabo Verde vive hoje momentos de aflição, assaltos aos Bancos, assaltos aos cidadãos em plena luz do dia, mas os maiores assaltantes em Cabo Verde são aqueles que gerem o erário público.
Pena é que a Comunidade Internacional, os Estados Unidos da América e a União Europeia tem sido cúmplices com a onda da corrupção dos agentes públicos provindos do MPD e do PAICV em Cabo Verde.

Senhor Presidente, lembro-lhe de alguns casos recentes:

Corrupção dos terrenos na Câmara Municipal da Praia – denuncia feita à Justiça de Cabo Verde e até hoje nenhuma resposta – agentes envolvidos: pessoas afectas ao MPD;
Corrupção na gestão do Fundo Ambiente – uso do dinheiro público de forma irregular – Agente envolvido: Governo de Cabo Verde suportado pela maioria parlamentar do PAICV – denuncia feita à Justiça de Cabo Verde e até hoje nenhuma resposta;

Indícios de Corrupção na gestão do Projecto CASA PARA TODOS – que mais se assemelha a trama relatada por John Perkins no seu livro Confissões de um Assassino Económico, em que governantes fantoches cedem a pressão e os interesses de um outro Estado, pondo em causa o interesse nacional – Agente envolvido: Governo de Cabo Verde suportado pela maioria parlamentar do PAICV – não é do domínio público que haja qualquer acção da Justiça de Cabo Verde, para investigar o caso;

Indícios de Corrupção na gestão do NOVO BANCO – um Banco criado em 2010, com o dinheiro público, cerca de 8.490.000 USD, declarado, hoje, como insolvente e não vemos qualquer acção da justiça de Cabo Verde, para por cobro a má gestão do dinheiro público- Agente envolvido: Governo de Cabo Verde suportado pela maioria parlamentar do PAICV;

Por outro lado, Sr. Presidente, enquanto o dinheiro público é esbanjado e mal gerido pelos agentes públicos afectos ao MPD e ao PAICV, encontro cidadãos na rua, que não podem aceder a tratamento de saúde no Hospital do Estado porque não tem 3 USD que lhes são cobrados logo na listagem para a consulta.

Assim, diante dessa tamanha contradição na gestão do erário público, solicito-lhe que, com a mesma bravura e frontalidade que tem enfrentado os problemas internos do seu país, ajude-nos a combater o grande mal que é a corrupção em África.

Obrigado, Sr. Presidente Trump.

Amândio Barbosa Vicente

Comentar:

0 comments: