Nanika Tikoo, uma menina inglesa residente em Harrow, no Reino Unido, morreu depois de comer as panquecas que o pai, Vinod, de 41 anos, tinha cozinhado. A criança foi vítima de uma reação alérgica grave. 

Nanika sofria de várias alergias alimentares (como ovos e lacticínios) mas, apesar das panquecas feitas não conterem nenhum destes ingredientes, a menina colapsou e ficou azul assim que deu a primeira dentada no lanche. 

Os serviços de emergência foram imediatamente chamados ao local e a criança levada para o hospital. Como esteve demasiado tempo sem oxigenação no cérebro, entrou em morte cerebral e, cinco dias depois, os pais tiveram que tomar a dolorosa decisão de desligar as máquinas de suporte de vida. "



Eles tentaram reanimá-la durante uma hora. Quando voltou a ter pulsação, já tinha danos irreversíveis no cérebro, mas nunca pensei que fosse acabar assim. Não percebi logo o que aquilo significava, achei que ela ficaria com sequelas motoras ou com algum tipo de paralisia. Levaram-na para os cuidados intensivos e disseram-nos que os prognósticos não eram bons, mas não estava preparada para algo assim", conta em lágrimas a mãe de Nanika, Lakshimi. 

A menina desde cedo apresentou reações alérgicas a determinados grupos alimentares mas nenhuma considerada de alto risco, pelo que os pais só procuraram ajuda de um alergologista quando a criança teve uma reação ao leite. Os testes revelaram que Nanika era alérgica a soja, leite e derivados e a ovos. 

Suspeita de ingredientes contaminados 

Antes de desligarem as máquinas, os médicos realizaram mais alguns testes e descobriram que a menina tinha uma alergia moderada a amoras, que antes não tinha sido detetadas. E as panquecas que o pai tinha cozinhado continham amoras. Ainda assim a reação alérgica extrema só podia ter sido desencadeada pela presença de lacticínios, a alergia mais grave que a criança sofria. 



"O médico que a acompanhou disse-nos que não parecia que as amoras fossem as únicas culpadas. Algum dos ingredientes terá sido contaminado com lacticínios e foi isso que causou a reação alérgica", conta a mãe da menina. 

Agora, passados cinco meses da tragédia, os pais de Nanika estão determinados a ajudar os pais de crianças com alergias. 

Os dois criaram um fundo com o intuito de fundar uma associação que ajuda os pais a lidar com as alergias dos filhos, para que sejam aconselhados e procurem ajuda de especialistas logo após os primeiros sinais. "queremos criar material que chame a atenção para este problema, financiar projetos de investigação na área das alergias e fazer chegar a mensagem a todo o lado. Não sabemos se podíamos ter feito alguma coisa para impedir a morte da Nanika, mas podemos garantir que os pais vão poder saber onde procurar ajuda e, talvez, impedir que casos como este aconteçam", explicam os pais da menina inglesa. Fonte: CM

Comentar:

0 comments: