Pixabay
Um professor de uma escola primária da cidade de Demerval Lobão, no interior do estado brasileiro do Piauí, foi afastado esta quinta-feira depois de famílias de alunas pré-adolescentes o terem denunciado por uma prática criminosa e inusitada. Segundo as denúncias, o professor, da Escola Municipal Francisco Luiz de Melo, pagava a alunas para irem às aulas sem cuecas. 

De acordo com as informações iniciais, o docente aliciava as alunas, com idades médias na faixa dos 12 anos, para comparecerem às aulas dele sem a peça íntima e usando apenas saia, de preferência curta. As meninas que aceitavam, ainda de acordo com as denúncias feitas por familiares das estudantes, recebiam pequenas quantias em dinheiro e presentes. 



A primeira denúncia foi feita quarta-feira pela mãe de uma das alunas, chocada com o relato que ouviu da filha, e que, após isso, procurou a direcção da escola. Depois, após a notícia da queixa se espalhar, famílias de outras alunas procuraram os gestores escolares, confirmando o que a primeira mãe tinha narrado e acrescentando outros detalhes. 

Um deles dá conta de que, em certas ocasiões, o professor mandava os alunos do sexo masculino deixarem a sala de aula, para ficar a sós com as alunas sem a peça íntima. Nos relatos conhecidos até esta sexta-feira não havia no entanto menção à prática de violação ou outro abuso sexual efectivo do professor contra qualquer aluna. 

Júnior Carvalho, o autarca da cidade, que fica a 35 km de Teresina, a capital do Piauí, confirmou que recebeu as denúncias e adiantou que mandou afastar preventivamente o docente acusado por 60 dias. Foi também pedida a intervenção do Conselho Tutelar de Menores e da polícia, para apurarem totalmente o caso e adoptarem as medidas cabíveis.

Fonte: CM



Comentar:

0 comments: