O pastor da Igreja Adventista do Sétimo Dia em Cabo Verde assegurou hoje que a instituição que dirige está a trabalhar para construir, na Cidade da Praia, uma clínica comunitária para ajudar as famílias cabo-verdianas mais carenciadas.

A ideia foi partilhada com o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, que recebeu esta manhã o representante da Igreja Adventista do Sétimo Dia em Cabo Verde, António dos Anjos, no âmbito do encontro que manteve com os responsáveis das entidades religiosas para analisar a situação do mau ano agrícola.

“Apresentamos ao Chefe do Governo o nosso projecto de construção de uma clínica comunitária e de referência em Cabo Verde, para ajudar as famílias cabo-verdianas mais carenciadas”, sublinhou o responsável, que garantiu que os técnicos já estão a trabalhar para fazer com que este plano seja adaptado aos serviços hospitalares e às estruturas de saúde.



Entretanto, disse que neste momento estão a discutir e analisar com a Câmara Municipal da Praia, no sentido de conceder um terreno estratégico, uma vez que pessoas individuais e empresas já manifestaram a sua total disponibilidade em colaborar com a igreja na construção deste projecto.

António dos Anjos acrescentou que durante o encontro teve ainda a oportunidade de falar com o primeiro-ministro sobre os projectos da instituição para este ano , não só a nível social, mas também da educação e saúde, sendo que são áreas de intervenção da igreja.
Segundo avançou o responsável, ficou assente também que o Governo vai estar aberto e disponível em cooperar com as igrejas, com vista a ajudar as famílias cabo-verdianas afectadas pelo mau ano agrícola.

Por seu turno, o ministro de Estado, dos Assuntos Parlamentares e da Presidência do Conselho de Ministros e Ministro do Desporto, Fernando Elísio Freire, assegurou que os projectos das instituições religiosas estão alinhadas com as ideias traças e definidas pelo Governo, visando a mudança de comportamento, de atitudes e acima de tudo tornar Cabo Verde num país muito mais resiliente.

“O mais importante é que todos reconheçam que precisamos evoluir em termos das nossas atitudes, comportamentos e dificuldades em relação à seca, e para isso estamos a desenvolver acções que exigem persistência e foco onde todas as instituições mostraram-se alinhadas com o Governo neste propósito”, salientou.

O governante frisou que o encontro serviu também para o reforço e estreitamento das relações com as entidades religiosas e criar um quadro previsível de relacionamento, assegurando que o Governo está interessado em desenvolver relações com essas instituições, uma vez que estão mais perto das populações e com a credibilidade e que têm podem demonstrar a necessidade da mudança de atitudes, do reforço do capital social e de transmissão de valores.

Por: Inforpress

Comentar:

0 comments: