O suposto homicida e colega de trabalho de Nuno Silva, baleado na tarde de quarta-feira, 17, em Santa Maria, ilha do Sal, foi capturado na manhã desta sexta-feira pelas autoridades policiais, devendo ser entregue hoje à tarde ao Tribunal.

Conforme fonte da Polícia Judiciária (PJ), o indivíduo, que supostamente terá baleado Nuno Silva com seis tiros, tendo também atingido o patrão com dois disparos, após desentendimento, encontra-se detido numa das celas da PJ para interrogatórios, devendo ser apresentado, ainda hoje, ao juiz da comarca do Sal, para efeito de aplicação da medida de coação.

A acção de “caça ao homem” , conta a mesma fonte, numa operação conjunta com a Polícia Nacional (PN), durou toda a noite até o raiar do dia, por volta das cinco da manhã, quando o agressor foi cercado, numa das ruas da cidade turística de Santa Maria, tendo inicialmente “feito alguma resistência”, acabando, entretanto, por se entregar.

Sobre o agora detido recaem as acusações da prática de dois homicídios, sendo uma na sua forma tentada.



Não se sabe ao certo a possível causa da polémica seguida de morte de Nuno Silva, como se chamava o falecido, que chegou ainda com vida na Clinitur em Santa Maria, apresentando seis entradas de projéctil no seu corpo.

Já o patrão, conhecido por Hélder, português, baleado com dois tiros, foi evacuado para o Hospital Central da Praia, tendo também viajado para Portugal, sua terra, para cuidados médicos.

Nuno Silva era jogador da equipa de futebol do Académico do Aeroporto do Sal, também do Sport Club de Santa Maria, e trabalhava, actualmente, na representação da Super Bock na ilha.

Por: Inforpress

Comentar:

0 comments: