O Serviço de Investigação Criminal e a Interpol anunciaram hoje (domingo) à apreensão, no Porto Comercial de Luanda, de uma quantidade avaliada entre 400 e 500 quilos de presumível droga.

A droga acondicionada em 16 pastas, foi apreendida em flagrante delito por forças coordenadas dos serviços de investigação internacional, num navio de carga proveniente do Brasil.

As autoridades angolanas foram alertadas para o facto de o referido navio estar a transportar contentores que continham, supostamente, droga no seu interior.

Quanto ao representante da Interpol em Angola, Destino Pedro, esclareceu, em declarações à Televisão Pública de Angola (TPA) que, “na base dos testes preliminares, presume-se que seja droga, avaliada entre 400 e 500 quilos”.

O navio teria passado já por outros dois portos de África, sendo o de Luanda o terceiro. Porém, de acordo com a fonte, não se sabe ao certo se o destino do navio, que transportava 80 contentores de mercadoria diversa, era Angola ou se estaria em trânsito para um outro país.



Mas, Destino Pedro aclarou que, mesmo não sendo Luanda o destino final, o barco transportava produto proibido, de crime internacional, e que, depois de proceder-se à sua revista, constatou-se fortes indícios da existência de droga, pelo que decidiu-se pela sua apreensão.

A presumível droga encontrava-se dissimulada nos contentores que contêm açúcar.

Segundo fontes do Serviço de Investigação Criminal citadas pela TPA, as investigações prosseguem para apurar-se os proprietários da presumível droga apreendida.

O narcotráfico é caracterizado pela venda de substâncias ilícitas, sendo, portanto, uma actividade ilegal.

O facturamento obtido através da venda dessas substâncias é extraordinário. Conforme estudo realizado pela Organização das Nações Unidas (ONU) estima-se que a renda anual de drogas ilegais seja de 400 bilhões de dólares, correspondendo a aproximadamente 8 porcento do comércio internacional. (C/ Angop)

Comentar:

0 comments: