A Associação Dos Empresários Chineses Em Cabo Verde já veio a público reagir ao  tumulto gerado na manhã de ontem, após cidadãos chineses terem sido acusados de estar a sequestrar crianças no bairro da Achadinha, cidade da Praia. O incidente gerou pânico na população e levou a que muitas noticias falsas fossem veiculadas, principalmente, nas redes sociais. 

“Nos vive nesse terra no te vende roupa ,, cosa de casa kmida ma no k t vende o roubar crianca! (Nós vivemos nesta terra vendendo roupa, utensílios domésticos e comida. Não vendemos ou roubamos crianças!)”, esclarece, num post publicado no Facebook, a associação que congrega os empresários chineses residentes em Cabo Verde.

Ainda, na mesma rede social, são muitas as mensagens que condenam os acontecimentos da manhã de ontem e prestam apoio a todos os chineses residentes no país. 

Refira-se que a Polícia Nacional, em comunicado, esclareceu que tudo o que se passou na manhã de ontem, na Achadinha, tratou-se de um falso alarme.


“Efetivamente, a PN foi informada de que crianças estariam sendo sequestradas por uma viatura ocupada por chineses. Das diligências efectuadas no local e posteriormente na Esquadra, concluiu-se tratar-se de um mal entendido, uma vez que os cidadãos chineses se encontravam na sua lide diária e ao dirigirem-se para as suas viaturas das quais uma estava avariada, permanecerem no local à espera de ajuda, o que originou toda a suspeição e subsequente confusão”, lê-se na nota.

De acordo com a PN, “na viatura não se encontravam quaisquer crianças e nem tão pouco indícios que estavam ali para praticar qualquer crime”, continua o comunicado.

As autoridades deixaram ainda um alerta para o perigo das falsas notícias que possam ser veiculadas na sequencia deste género de acontecimentos. 


Comentar:

0 comments: