O Ministério Público mandou arquivar o processo de alegado envolvimento num caso de abuso sexual do ex-seleccionador nacional Felisberto Cardoso, e do procurador da República, Albertino Mendes, depois de investigações para a descoberta da “verdade material”.

Num comunicado, a Procuradoria Geral da República faz saber que na sequência de notícias vinda ao público, envolvendo as referidas pessoas no caso do abuso sexual de uma menor de 14 anos, residente no Paiol (Praia), ordenou a investigação do facto, mas que nada ficou provado em relação a estas entidades.

Segundo a nota, na decorrência das investigações “foi deduzida acusação pública e requerido julgamento de nove arguidos identificados, não figurando entre eles os nomes de Felisberto Cardoso e Albertino Mendes “não foram mencionados ou imputados a prática de qualquer facto, nem sequer como meros suspeitos”.

A um dos arguidos foi imputado o crime de agressão sexual de criança, enquanto a quatro deles foi acusado de crime de recurso à prostituição de menor, sendo um deles agravado por ter resultado a gravidez da menor.

Por: Inforpress

Comentar:

0 comments: