O Partido Popular (PP) congratulou-se hoje com a decisão da Procuradoria-geral de República em abrir um inquérito para a clarificação da suspeita que recai sobre o vice-primeiro-ministro se é ou não sócio da Tecnicil.

Em declarações à Inforpress, para falar das conclusões saídas do encontro quinzenal da Direcção Nacional do PP, que esteve reunido no sábado, 25, para analisar alguns “pontos de importância” para o país, Amândio Barbosa Vicente fez ainda referência ao aumento da taxa de importação do leite e sumos e o arrendamento de um prédio da Tecnicil para instalação de serviços do Ministério das Finanças.

“São três suspeitas que ligam o vice-primeiro-ministro à Tecnicil, pelo que se isso for verdade e tiver fundamento, que seja responsabilizado. Se for calúnia, como o próprio tem vindo a dizer, ele que entre com um processo-crime contra as pessoas que o vem fazendo”, disse.

Ainda segundo a mesma fonte, a Direcção Nacional discutiu a questão da regionalização debatida pelo Governo e questiona o primeiro-ministro sobre a sua declaração sobre o rendimento da regionalização ser superior ao custo.


Perante esta inquietação, o PP apela aos deputados do PAICV a estarem atentos na aprovação da lei no Parlamento, na próxima semana, uma vez que para sua aprovação serão necessários dois terços dos votos dos deputados.

Ainda segundo Amândio Barbosa Vicente, a Direcção Nacional do PP analisou as declarações do responsável da Sata Airlines (Açores) que começou a operar no país em 2017, e que já afirma ter tido resultados positivos.

“Se uma empresa que começou há um ano tem resultados positivos, isso mostra que o mercado cabo-verdiano na área de transporte aéreo é rentável e que a questão dos TACV se deve a má gerência tanto dos governos do PAICV como do MpD”, afirmou.

O Partido Popular alimenta o facto de hoje quem esteja a pagar por esta situação sejam os trabalhadores que se encontra numa “indefinição lamentável” sobre a situação dos TACV.

Durante o encontro de hoje, a Comissão Nacional do PP analisou também os processos disciplinares que o ministro da Administração Interna, Paula Rocha, anunciou estar a decorrer para alguns dos policiais que participaram na greve da polícia, e o desaparecimento das pessoas no país.

“Já é tempo de o Governo pedir ajuda internacional para desvendar esta situação e clarificar os familiares sobre o desaparecimento que vem acontecendo”, sublinhou.

Por fim, Amândio Barbosa Vicente avançou que a Direcção Nacional reflectiu sobre o surto de gripe “que já provocou dois obtidos” e “muita enchente” no hospital, tendo concluído que os impostos que os cabo-verdianos pagam são utilizados mais “para a mordomia da classe governativa” e não para “qualidade de saúde” em Cabo Verde.

O Partido Popular manifestou também o seu apoio ao sindicato e aos trabalhadores da Câmara Municipal dos Órgãos perante a decisão de baixar o salário, algo, segundo disse, “nunca antes feito” sobre direitos adquiridos.

Inforprses

Comentar:

0 comments: