Um dos corpos do casal de turista “engolido” na manhã de hoje pelas ondas na zona de Regona, ilha do Sal, já foi encontrado, após insistente busca das embarcações da Guarda Costeira e Polícia Marítima, naquela baía.

Trata-se do corpo de um indivíduo de 46 anos, de nacionalidade norte americana, cuja identidade, passaporte, trazia numa bolsa atada à cintura, enquanto a mulher continua ainda desaparecida.

Este casal de turista fazia registos fotográficos das suas férias na ilha do Sal quando foi surpreendido por uma forte ondulação que se fazia sentir naquele ponto de atracção turística, pelas bandas da Palmeira, pouco depois de ser alertado pelo perigo, conforme testemunha ocular.

O delegado marítimo, Armindo Graça alerta as pessoas, nacionais e estrangeiros a acautelarem-se, a não se fazerem ao mar, ao mesmo tempo que proíbe as embarcações de pescas, botes de boca aberta, uma vez que a ondulação varia até sete metros Noroeste, representando perigo eminente naquela região.

Regona é uma paisagem protegida, um ponto de mergulho cuja área cobre uma superfície aproximada de 518 ha e um perímetro de 17.891 m.

O espaço protegido inclui parte do litoral Norte-ocidental da ilha do Sal, desde o Norte de Palmeira até Ponta Preta, incorporando um relevo montanhoso, Monte Leste, que alcança 269 metros desde o nível do mar, e que destaca por elevar-se abruptamente sobre as planícies circundantes.

Por: Inforpress

Comentar:

0 comments: