Um cidadão cabo-verdiano, que se intitula como bispo e realiza celebrações eucarísticas na província de Cabinda, está a preocupar as autoridades eclesiásticas angolanas, que já vieram a público alertar para a atuação do alegado falso clérigo.

Em comunicado a que a Lusa teve hoje acesso, a Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST) alerta para a presença no enclave de Cabinda de Filipe Cupertino Teixeira, que se apresenta aos fiéis como bispo.

A CEAST refere que o homem já esteve em Cabo Verde, "onde foi descoberto pelas autoridades competentes", realizando as mesmas práticas, apresentando-se como bispo, e tendo depois desaparecido.



"Usa indevidamente as vestes litúrgicas" da Igreja Católica Apostólica Romana, "confundindo e despistando, desta maneira, as pessoas menos atentas", situação que se tem vindo a verificar nas últimas semanas em Cabinda, levando ao alerta público.

"A CEAST informa aos fiéis católicos que não devem participar das 'celebrações' deste falso bispo", alerta a conferência, preocupada com os contornos deste caso.

Filipe Cupertino Teixeira apresentou-se no fim de semana, em Cabinda, como bispo da Igreja Católica das Américas, tendo participado, segundo os relatos da imprensa local, na ordenação dos primeiros diáconos daquela igreja.

"O que vejo em Angola é uma segunda colonização. Sinto uma dor profunda, pois enquanto uns se fazem de ricos, outros vivem uma profunda crise," disse o alegado bispo, nas declarações publicadas pela comunicação social em Cabinda.

Lusa/Fim

Comentar:

0 comments: