A agricultura pode ser uma oportunidade para primeiro emprego, dai a necessidade dos jovens acompanharem os projectos que estão a ser desenvolvido pelo Estado e aderirem os programas ligados ao mundo do cultivo, considerou hoje, terça-feira, em Icolo-Bengo (Luanda), o presidente do Conselho Nacional de Juventude (CNJ), António Tingão Mateus.

Para o responsável, que falava depois de uma visita guiada de um grupo de membros do CNJ ao Perímetro Irrigado Agro-Quiminha, “não precisamos ser todos doutores, mas podemos fazer e sustentar as nossas vidas através da agricultura e na Agro-Quiminha está uma oportunidade para muitos jovens que procuram o primeiro emprego”.

Por sua vez, o engenheiro agrónomo Bráulio Rodrigues, que conseguiu o seu primeiro emprego e o sonho da casa própria nesse projecto , falou que o trabalho no campo tem sido satisfatório, uma vez que já trabalha há 11 anos no mesmo perímetro.



Bráulio Rodrigues referiu também que o projecto tem tudo para dar certo, uma vez que possui tecnologias de ponta que pode fazer a diferença na produção de qualquer produto em qualquer estação do ano.

Com objectivo de constatar as oportunidades de negócio e incentivar os jovens a investir no sector agrícola como fonte de riqueza, o CNJ realizou, no município de Icole-bengo, uma visita ao perímetro irrigado Agro-Quiminha.

O projecto Agro-Quiminha, que conta com uma área de cinco mil hectares no geral, mil e 200 hectares de área irrigada, pivô com 700 hectares e 08 hectares para plantações protegidas, produz várias culturas como milho, bata rena, cebola, beringela, bata doce, tomate, pepino, pimento, melancia, melão e banana.

O investimento é do Estado angolano e se encontra neste momento num grau de trabalho de 40 porcento, pensando-se já para o seu aumento em Outubro de 2018, com uma produção de 60 mil toneladas de produtos diversos.

Para o gestor das fazendas familiares, engenheiro Pedro Silveira, a agricultura é um dos sectores que mais emprega, e nesta questão, o projecto Agro-Quiminha conta com 15 famílias que residem no local e pensasse já para Outubro a entrada de igual número de famílias.

Nesta área já se encontra em funcionamento um posto médico e uma escola que atende os moradores da zona social e arredores.(ANGOP)

Comentar:

0 comments: