O Governo vai rever o modelo de financiamento das instituições de Ensino Superior público e privado, para fomentar o equilíbrio financeiro, a sustentabilidade das mesmas e que seja o mais adequado para servir a juventude cabo-verdiana.

A garantia foi dada hoje pelo secretário de Estado da Educação, Amadeu Cruz, no final da visita que efectuou esta tarde ao Instituto Superior de Ciências Jurídicas e Sociais (ISCJS), no âmbito de uma série de visitas que pretende realizar às instituições de Ensino Superior, visando dar o conhecer as linhas orientadoras do programa do Governo.

O governante assegurou que o seu ministério vai trabalhar em colaboração com o ministério das Finanças. no sentido de analisarem qual será o modelo adequado para o financiamento das instituições de Ensino Superior público e privado, quer a nível das bolsas de estudo quer das subvenções destinadas às instituições.

“É algo que está no programa do Governo e estamos a trabalhar para implementa-lo muito brevemente”, garantiu, sublinhando que a ideia é que o modelo de financiamento do Ensino Superior seja o mais adequado para servir os jovens de Cabo Verde, as famílias, mas também fomentar o equilíbrio financeiro e a sustentabilidade das instituições.



Amadeu Cruz disse que após à revisão do regime jurídico de financiamento ao Ensino Superior, a proposta será consensualizada, primeiro com as instituições e que, posteriormente , será apresentada ao Conselho de Ministros.

Por outro lado, disse que estão a trabalhar na caracterização das instituições de Ensino Superior privado, com o objectivo de dar a conhecer melhor a realidade actual, para delinear e consensualizar medidas e políticas adequadas ao sector.

Na ocasião, reconheceu que há necessidade de uma melhor articulação de medidas e políticas, sendo que uma das principais preocupações das instituições do Ensino Superior quer públicas e privadas é a sustentabilidade de todo o sistema.

Relativamente à qualidade, afirmou que o Ensino Superior ministrado em Cabo Verde é de qualidade, mas que existem cursos que não têm a qualidade desejada.

Para tal, avançou que o ministério está a colaborar com as instituições neste domínio para qualificar a oferta formativa das instituições disponível actualmente

Outro aspecto que considera importante e relevante é a investigação, que, segundo o secretario de Estado, é essencial para servir a economia e o desenvolvimento do país.

“Para termos a dimensão da investigação desejada, iremos apostar na criação de um gabinete de investigação e de Ciência que vai dar cobertura ao pilar mais fraco do Ensino Superior que é a investigação”, precisou.

Para esta quarta-feira, 14, estão previstas visitas à Universidade Intercontinental (UNICA) e à Universidade Jean Piaget.

Por: Inforpress

Comentar:

0 comments: