Um cidadão de nacionalidade holandesa, de nome Bernard “Beni” Moreira, está à espera de ser extraditado para o Luxemburgo, onde irá responder por suspeita de tráfico internacional de drogas. O mesmo foi detido no dia 2 de Março, pela Interpol Cabo Verde, após um mando de captura internacional.

Bernard “Beni” Moreira foi detido no Aeroporto Internacional Nelson Mandela, na cidade da Praia. De nacionalidade holandesa, ele foi preso ao desembarcar de um voo oriundo do Brasil. Sabe-se que o mesmo tinha deixado a Europa há cerca de três meses, em direcção a Cabo Verde.

Apresentado ao Tribunal de Relação de Sotavento, na Assomada, Beni foi mandado para a Cadeia Central da Praia, onde irá aguardar pelo desfecho do processo de extradição para o Luxemburgo. O visado estava, desde Outubro de 2017, na lista vermelha da Interpol.



Suspeita-se que o jovem de 27 anos, filho de pais naturais de Santa Catarina de Santiago, esteja envolvido numa rede de tráfico internacional de drogas que opera a partir do Luxemburgo.

Defesa quer evitar extradição

A defesa de Bernard Moreira, o advogado José Manuel Pinto Monteiro, diz que está a guardar por documentos que comprovem que Beni tem direito à nacionalidade cabo-verdiana. Com isso, explica aquela fonte, pretende-se evitar a sua extradição para o Luxemburgo, fazendo com que o suspeito seja julgado em Cabo Verde.

“Estamos a ver esta possibilidade, até porque meu constituinte afirma que não esteve no Luxemburgo nas datas em que está sendo indiciado”, completa Pinto Monteiro.

Refira-se que o Luxemburgo tem até 15 dias, após a data de detenção, para enviar o pedido oficial de extradição de Bernard Moreira. Caso contrário, o arguido sai em liberdade, a não ser que o Tribunal de Relação decida por estender o prazo.

Fonte: A Nação

Comentar:

0 comments: