Três funcionários judiciais são-tomense e um civil foram acusados hoje pela polícia de Investigação Criminal (PIC) de envolvimento no roubo, na madrugada de domingo passado, de 58 cápsulas de cocaína que se encontravam nos cofres dos tribunais.

"Já recuperamos 57 cápsulas, faltam apenas uma e o destino que queriam dar a essa droga era negocia-la", disse aos jornalistas o inspetor da PIC de São Tomé, Avelino Quaresma.

No dia 17 deste mês, um cidadão guineense foi detido no aeroporto de São Tomé pela Policia de Investigação Criminal, transportando 58 cápsulas de cocaína no estômago.

Segundo a policia, o cidadão guineense chegou a São Tomé num voo da TAP que era proveniente do Estado de Fortaleza, no Brasil.



O juiz de instrução criminal colocou o indivíduo em prisão preventiva e a droga ficou sob custodia dos tribunais.

Na última segunda-feira a PIC anunciou que recebeu informações de que "o edifício dos tribunais foi assaltado" e tinha sido roubadas "as 58 cápsulas de drogas apreendidas ao passageiro guineense que desembarcou no aeroporto no dia 17 deste mês".

"Os três funcionários judiciais roubaram a droga e levaram-na a um civil para negociar", explicou Avelino Quaresma que disse não acreditar que haja "muitos consumidores ativos da cocaína em São Tomé, porque de contrario o negócio teria sido consumado".

O inspetor disse "não dispor ainda de elementos" sobre uma eventual ligação entre os elementos que roubaram as drogas e o guineense detido.

Lusa



Comentar:

0 comments: