Parte dos alimentos recolhidos é comercializada nos mercados do quilómetro 30, Asa Branca, Kuanzas e Panguila.


O aterro sanitário de Mulenvos, em Viana, Angola, continua a ser o ganha-pão para muitas famílias daquela região do país. 

Segundo avança o Novo Jornal, as pessoas continuam a recolher diariamente naquele aterro sanitário produtos como carne seca, chouriço, chocolates, feijão e frango, que são deitados fora por estarem deteriorados ou fora de prazo.  

De acordo com este jornal, os alimentos recolhidos diariamente nos Mulenvos têm como destino os mercados do quilómetro 30, Asa Branca, Kuanzas e Panguila, onde uma parte é comercializada e a restante destina-se a alimentar as famílias dos próprios recolectores.


Comentar:

0 comments: