O líder da esquerda radical francesa, Jean-Luc Mélenchon, denunciou hoje a condenação e prisão de Lula da Silva, considerando como um "golpe de Estado judicial" cometido pela "oligarquia" brasileira.

O líder da esquerda radical francesa, Jean-Luc Mélenchon, denunciou hoje a condenação e prisão de Lula da Silva, considerando como um “golpe de Estado judicial” cometido pela “oligarquia” brasileira e dos Estados Unidos para impedir o seu regresso ao poder.

“Este é um golpe judicial”, disse o fundador do partido França Insubmissa à rádio Europa 1, lembrando a ampla vantagem do ex-presidente do Brasil nas sondagens para as eleições presidenciais de outubro.


Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado a 12 anos e um mês de prisão por corrupção e branqueamento de capitais e entregou-se às autoridades depois de terem sido rejeitados diversos recursos e pedidos de “habeas corpus” da sua defesa.

O ex-Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva cumpre hoje o primeiro dia na prisão, depois de se ter entregado à Polícia Federal no sábado.

“Houve corrupção no Brasil (…), mas estamos a falar de Lula. Lula é acusado de ser corrupto: eu digo é mentira, Lula não é corrupto, é uma maneira que a oligarquia e os Estados Unidos da América descobriram para impedir que ele seja um candidato a ganhar uma eleição novamente e fazer uma política favorável aos pobres, humilhados e oprimidos que são os mais numerosos do Brasil”, disse Mélenchon.

Lusa

Comentar:

0 comments: