O pai de um recém-nascido denunciou hoje que o filho morreu, esta quarta-feira no Hospital Regional do Sal, “vítima de negligência médica”, pelo que apela maior atenção e cuidados de saúde aos utentes na ilha.

Revoltado pela morte do filho de um mês e vinte dias, por volta das 06:00 desta quarta-feira, no Hospital do Sal, Francisco Manuel Évora, natural de São Nicolau, mas a viver no Sal há algum tempo, conta que a mãe da criança deu entrada com o bebé, que “chorava muito”, às 04:30 desse mesmo dia, tendo ficado em observação.

Segundo o pai, nesse período de tempo o menino estava a passar mal, com “fraca respiração”, pelo que a mãe “desesperadamente” chamava pelos profissionais da saúde, mas “não foi” acudida atempadamente.

“O meu primeiro rapaz que Deus deu me deu para morrer assim, por falta de assistência. A enfermeira atendia outro paciente enquanto a médica dormia… porque estava a descansar conforme ela mesma disse, pedindo desculpas”, ironizou, revoltado, considerando que já é hora de a ilha do Sal ter melhores cuidados de saúde e uma área de atendimento pediátrico, específico para crianças.

Indignado, e por entender, tratar-se de um acto de “negligência médica”, Francisco Évora, que é condutor-guia, apresentou queixa à Polícia Judiciária, que já tem o processo sob investigação.

Procurado para comentar o caso, o director do Hospital, Hélder Almada, informou que a ocorrência está a merecer procedimento interno para se apurar os factos.

Por: Inforpress

Comentar:

0 comments: