Os familiares do artesão de Chã das Caldeiras, Isaque Lopes Barros, jovem de 30 anos, participaram hoje à Polícia Nacional o seu desaparecimento há cerca de 20 dias, depois de terem esgotado as buscas, sem sucesso, em toda a zona da Caldeira, onde habitam.

O seu irmão, José Lopes Barros “Carbone”, disse à Inforpress que tomaram conhecimento da situação na última segunda-feira, 25 de Junho, e que no dia seguinte, terça-feira, 26, deslocou-se à esquadra de Cova Figueira (Santa Catarina do Fogo), que tem a jurisdição sobre Chã das Caldeiras para participar do seu desaparecimento.

No entender do irmão e de outros membros da família, Isaque Lopes Barros poderá estar escondido com medo da polícia, que terá deslocado e “invadido”, sem mandato judicial, a sua residência na zona de Monte Saia, nas proximidades de Cova Tina, Chã das Caldeiras, por motivos que o irmão desconhece.



No entanto, “Carbone” explicou ainda que agentes da Polícia Nacional da esquadra de Cova Figueira, teriam retirado do seu funco (modelo de habitação tradicional de Chã das Caldeiras) uma bicicleta, roupas e materiais que utilizava na confecção de artefactos artesanais em  pedras e que estão depositados na esquadra na cidade de Cova Figueira, Santa Catarina.

Os familiares e amigos de Isaque Barros efectuaram buscas em Chã das Caldeiras e nos sítios onde normalmente costuma frequentar, isso porque, além de medo de polícia, não descartam também a possibilidade de o mesmo ter sido vítima de alguma agressão de pessoas de Chã das Caldeiras com as quais tinha algum conflito relacionado com terreno.

Contactado pela Inforpress, o Comandante Regional da Polícia Nacional (PN), comissário Roberto Costa Fernandes, confirmou que os familiares do desaparecido comunicaram a ocorrência na última quarta-feira, 27 de Junho e que elementos da esquadra de Santa Catarina fizeram diligência em Chã das Caldeiras tendo estabelecido contacto com vizinhos e familiares do jovem desaparecido, incluindo a mãe dele.

Entretanto, explicou que Isaque Barros poderá estar com receio da Polícia por causa de uma multa que tem junto do Tribunal da Comarca dos Mosteiros, notando que há informações de que o mesmo costuma estar vários dias sem ser visto pela população.

Por: Inforpress

Comentar:

0 comments: